05/08/2007

HOJE EU QUERIA VOCÊ AO SOL

Bela paz traz-me o céu nesses dias, apenas tua falta faz-me adoecer.
O sol toca minha pele, mas a ela não convence de todo, ainda há tanto frio sem ti.
- Oh noite, caótica noite, traz menos solidão hoje, clamo-te.
Quando a noite cai, quando a semana acaba, meus olhos húmidos fitam o horizonte.
E tu não estás por perto. Por onde anda o esse amor, outrora foi tão presente.
Jaz aqui nessa terra, onde meu amor não é regado. Sou quem busca teu calor.
A viver no frio, demasiado frio, tão gelado agora quando meus dez últimos sorrisos.
Já nem tenho amigos por perto, já não me sinto acompanhado.
Pela janela do trem conto estações, afim de perder-me da atenção que dou a essa saudade.
Dou te minha paz, ficas com ela hoje. Rogo-te, leva-a para ti.
Assim ficas com esse presente, pois esse presente que vivo é loucura, posso jurar.
Cada dia longe é um dia longe de mim.
Minha mente me engana a procurar por ti dentre as pessoas apressadas na estação.
Divido minha vida entre quase tudo, afim de me entorpecer no esquecimento.
E enfim só ficar a lembrar do bom, do teu gosto, do teu cheiro e de nossa vida juntos, te amo.
Sem mais nada a dizer.

Sem comentários:

Enviar um comentário

AVISO: O sistema de comentários está aberto a todos os leitores, no entanto sinto-me no direito de apagar qualquer coisa que julgue ofensiva. Obrigado .