05/08/2007

A TORRE DO REBANHO

Senhora que caminha no deserto.
Sua identidade foi trocada!
Uma outra desfigurou teu rosto, tua vida, tua família.
A prostituta te difamou e agora vive como santa,
Como noiva em seu lugar.
Blasfema teu nome, minha senhora, e a ofende.
A ofende e custa a aceitar sua santidade e importância.
Mesmo tu sendo a Magdal-eder, Torre do rebanho de Miquéias.
A prostituta persiste.
Maldito sejam os tolos que não buscam tua verdade,
Pois se estivesse tudo a vista,
Tua morte seria certa e a mentira irreversível.
Maldito os que não te procuram.
Engolem e degustam das mesmas mentiras que creram nossos pais.
Senhora que caminha no deserto sobre o sol,
Que conhece de perto o poder do céu.
Guarda o sangue real e o protege dos maus.
Pois nós, homens de bem, buscaremos sempre a tua bênção.
Pois nem todos somos santos, mas entre os bons os melhores.

1 comentário:

AVISO: O sistema de comentários está aberto a todos os leitores, no entanto sinto-me no direito de apagar qualquer coisa que julgue ofensiva. Obrigado .