03/12/2007

EU FUI OBRIGADO A VIR

É tarde demais para ensinar-me qualquer coisa.
Tarde demais para qualquer coisa me afectar.
Eu sei, não foi dessa vez que sorri!
Na próxima, fico mais relaxado!

-Olá, o que você faz aqui dentro?

Olhando para si mesma e pensando em alguém. Pobre menina!
Havia alguém dentro dela e se quer havia devorado algo ou alguém.
Quem imaginou como isso aconteceu? Sexo… não me parece!
Ninguém que a verdade soubesse a havia tocado…
Era tudo muito correcto… tudo muito suspeito!
Mas ela sabia o que era, não tivera cá a intenção, nem boa e nem má.
Quem ama por completo é incompleto quando está só.

-Tudo que preciso é alguém que precise do tudo que pareço não ter.

Eu sei, majestade! O cavaleiro não tinha cavalo, tão pouco era educado.
Mas ainda assim, a princesa se apaixonou!
Obrigado amor!

2 comentários:

  1. cavaleiros sem cavalos...
    escudeiros sem escudos...
    princesas sem reinados.
    Um mundo de prosa e poesia. Também sem letras e sem alegria.
    Lindo texto!
    Beijossss

    ResponderEliminar

AVISO: O sistema de comentários está aberto a todos os leitores, no entanto sinto-me no direito de apagar qualquer coisa que julgue ofensiva. Obrigado .