29/08/2008

QUANDO EU NÃO PUDER TER

Já passa de meia noite aqui no hemisfério norte do planeta. E tenho toda a certeza que nunca vi nada mais pequeno. Se eu conseguisse chorar, o faria. Se eu conseguisse dormir, tu não estarias a ler tal escrito.

Minha Deusa, porque as vezes me sinto como Fernando Pessoa, insisto em não querer a rosa, pois rosa já há. Essa inquietude é tão dolorida que não me força a olhar o mundo de outra maneira. Há algo estranho em mim, existe algo de estranho com minha cabeça. Eu quero acordar desse pesadelo assim como também quero dormir um sono leve e talvez não menos merecido que o de qualquer outro mortal. Orações não fazem efeito, perfumes não causam efeito. Sinto falta de quase tudo que se foi, não me lembro do tudo que tenho agora.

Hei de sentir falta de algum momento que acabei de dar um ponto final. A minha vida segue e a sua não me segue mais.

Quando pontos são necessários para continuar este maldito texto. Ao meio do caminho eu decidir não mais quebrar. Eu percebi que minha alma é flexível, ela pode se dobrar. Aprendi que nada, nem ninguém pode ser capaz de me parar.  Já agora, consigo agir como a água, se param a minha descida, sou capaz de evaporar, sou capaz de assumir formas e até capaz de passar por frestas.

Tenho fome do que vem pela frente, me assumir um homem incapaz de ser feliz. Escolhi o conhecimento. A ignorância me entedia. Detesto o tédio. Quero ir alem da barragem. Sou capaz. Quando eu gritar quero que todos os telefones toquem, todos comentem. Quero que a força da minha voz tenha cem por cento da capacidade.

E que meu pensamento cause caos. O caos é lindo. Não quero formato, o formato já há. Quero novas formas, não importa quais sejam, nenhuma me causa asco. Sou demasiado livre para isso, tudo é aceitável.

Ser livre é ser flexível... Chega de mentir-se. Sou amante da dor, pois ela libertará. A muito percebi que a verdade e a dor são irmãs siamesas. Quero tudo e quando tudo tiver, vou querer mais.

2 comentários:

  1. É bem perceptível a inquietude de sua alma,ela quer correr como a água e passear como o vento. Esta alma é característica daqueles que acreditam em seus sonhos e lutam por ele, muito embora sejam mal interpretados nesta busca por novos horizontes por aqueles de alma pequena...continue assim, correndo como a água, talvez um dia vc me encontre surfando nelas, porque eu também me sinto parte deste mundo sem fronteiras...eu grito: o céu é o limite...e olhe lá...rs
    ass: Isis Carneiro

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Isis, desde sempre... obrigado!

    ResponderEliminar

AVISO: O sistema de comentários está aberto a todos os leitores, no entanto sinto-me no direito de apagar qualquer coisa que julgue ofensiva. Obrigado .