02/09/2009

PARA QUEM NÃO SABE SER GETIL COM A VIDA

Convenhamos, eu não nasci preparado.
Não peça para que eu seja cordial, é da natureza do cão morder.
Eu não sei ser diferente, eu não quero acordar à hora do relógio.
Eu tenho minha cara, eu tenho sei lá o que a mais.
Inocente, não de todo, mas o suficiente para falar alto.
Se não quiser ouvir, não me acuse.
Sou apenas um dedo, entre todos os dedos.
Olha para sua mão, são iguais?
Eu não levo flores para ninguém, não levo fotos.
Não tenho sorte que sobre para ouvir e esperar.
Sinto fome da acção. Eu amo, eu explico.
Eu amo esse tumulto, amo o caos, eles sempre mudam, lhe juro.
Mais rápido que estações. Mais rápido que a nossa vontade.

Sem comentários:

Enviar um comentário

AVISO: O sistema de comentários está aberto a todos os leitores, no entanto sinto-me no direito de apagar qualquer coisa que julgue ofensiva. Obrigado .