10/05/2010

A INVENÇÃO

Desenhe chifres ao caos que vos cerca,
Minta para ti mesmo, tentando encontrar o culpado das tuas falhas.
Há homens para aceitar, o falhar dos homens para aceitar.
Nunca esquecerei teu sermão Padre, nem as tuas palavras, Pastor.
Mas realmente sinto-me muito confortável com as minhas verdades, todo mal e todo bem que causei, servem como uma luva calçando de tumulto a paz que vos rodeia.
Se hoje eu disser metade daquilo que penso sobre vós, alguns morreram de desgosto, terei menos amigos e amores nem por isso.
Apresento-vos a lógica tranquila de pensar livre e de livre poder agir como eu bem entendo, consoante a lei do amor levo a peito, pois esse amor é a lei, lei sobre a vontade.
Errei em 143 chances, com 93 por cento de absurdo.
Técnicas? Não obrigado.
Coloque chifres na tua incompetência, na fatalidade, dê um banho de tinta vermelha e a coloque num fundo flamejante. Arremeta ao inferno.
Ser feliz não depende da máquina, máquina só leva, lava, explica e catequiza.
Não sou amigo da máquina, eu mesmo, a meu tempo, a ornamentei com chifres.
O tempo pode roubar a tua chance. Liberdade é seguir sem inventar prisões, é simplesmente seguir a luz do teu Sol, independente de que nome o teu Sol tenha.
Acredite em teu sorriso, não importa quão amarelo ele seja, ele ainda é a melhor chave para o viver no mundo real.
Dêem nomes aos bois, transforme-os em algo não teorizado, fracamente compreendido e terrível como um bode, como o Fauno.
O teu deus há de te condenar, sendo tu bom ou mau, seco ou molhado de fé e suor, sujo ou limpo de lama e pó.
A tua própria farsa imersa o condena e tu compraste o grilhões que acorrentam os teus pés.
Tu escolhes a condenação sem poesia, sem romance algum... A única prisão que quero são os braços da feiticeira. Preso a cada passo, por mão e por laço.
Mas para o resto, eu sou livre... livre e pagão...

2 comentários:

  1. O jeito livre de pensar é difícil, um desafio. Se leva muita porrada e carregamos um peso de responsabilidade muito grande nas costas, que somos nós mesmos, livres e sozinhos. Pintando como queremos nossos medos, âncias, apatia, mau humor, amor, lógica. Todos se tornam tão previsíveis e somente nós somos uma caixa de surpresas. Sinceramente, me sinto muito bem assim, de mim cuido eu mesmo. Que bom é saber posso ser maior que tudo do que faço idéia que penso. Nossa maior paz é o nosso caos. Que assim seja!

    ResponderEliminar

AVISO: O sistema de comentários está aberto a todos os leitores, no entanto sinto-me no direito de apagar qualquer coisa que julgue ofensiva. Obrigado .